Outubro Rosa: O maior fator de risco é não se cuidar.

01/10/2018 14:48 | Última Atualização: 01/10/2018 14:48
Pin It

A prevenção, sem dúvida é o melhor cuidado.
Segundo informações do Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se que 30% dos casos de câncer de mama são possíveis de serem evitados ao aplicar atitudes como: praticar atividade física (no mínimo 30 minutos diários) de três a cinco vezes por semana; alimentar-se de forma saudável (isso representa prezar por dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal); manter o peso corporal adequado; evitar o consumo de bebidas alcoólicas; e amamentar.

Ainda segundo o Inca diversos fatores de risco podem estar relacionados ao câncer de mama, eles envolvem condições ambientais e comportamentais, história reprodutiva e hormonal, e fatores genéticos e históricos. Porém, a existência de um ou mais dos fatores de risco não quer dizer que a mulher necessariamente desenvolverá a doença. Veja abaixo:

• Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
• Sedentarismo; 
• Consumo regular de bebida alcoólica;
• Exposição frequente a radiações ionizantes (raios-X);
• Primeira menstruação antes dos 12 anos de idade;
• Não ter tido filhos;
• Primeira gravidez após os 30 anos;
• Não ter amamentado;
• Parar de menstruar após os 55 anos;
• Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);
• Ter realizado reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos;
• Histórico familiar de câncer de ovário;
• Vários casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
• Histórico familiar de câncer de mama em homens.

Quais as formas de detectar precocemente o câncer de mama:

Exame clínico das mamas: é o exame em que o médico ou enfermeiro observa e apalpa as mamas da paciente para identificar nódulos e alterações. Quando realizado por um médico ou enfermeira treinados, pode detectar tumor de até 1 centímetro, se superficial.

Mamografia: é uma radiografia das mamas, realizada por um equipamento chamado mamógrafo. Com a compressão das mamas é possível visualizar pequenas alterações, o que permite descobrir o câncer de mama em fase inicial. Conforme informações do Inca, a recomendação no Brasil é que mulheres entre 50 e 69 anos façam uma mamografia a cada dois anos.

Autoexame das mamas: o Inca não estimula o autoexame das mamas como método isolado de detecção precoce do câncer de mama. O procedimento não substitui o exame clínico realizado por um profissional de saúde treinado. O exame das mamas pela própria mulher deve integrar as ações de educação para a saúde que
contemplem o conhecimento do próprio corpo.


Fonte: Ministério da Saúde / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva / Portal Unimed -
Viver Bem.

 

Pin It